terça-feira, 2 de março de 2010

...


Se todo o ser ao vento abandonamos
E sem medo nem dó nos destruímos,
Se morremos em tudo o que sentimos
E podemos cantar, é porque estamos
Nus em sangue, embalando a própria dor
Em frente às madrugadas do amor.

Quando a manhã brilhar refloriremos
E a alma possuirá esse esplendor
Prometido nas formas que perdemos.

3 comentários:

arabica disse...

Pois gostei muito de conhecer o teu blog e ler um pouco de Sophia e de ti.

Um beijinho da outra Vanda :)

antonio - o implume disse...

Os sentimentos passam e levam consigo algo nosso... morremos assim.

maria manuel disse...

todos os dias morremos e (re)nascemos...