segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

...

Quando as palavras
secam na garganta
no momento exacto de as dizer
parecem rochas encrostadas na terra
impossíveis de as moldar.

Fico na impotente ansiedade
como náufrago, sem gritar.

Sei como são cruéis
e tiranas as palavras
que se recusam a pronunciar-se
naquele exacto momento
em que mais são precisas.

Quando me acontece contigo
substituo-as pelo olhar
e as mãos dizem o resto...

5 comentários:

mixtu disse...

as palavras...
que valem por mil imagens...

as palavras que não são ditas.. imaginadas

abrazos errano desde paris

Luis F disse...

As palavras adoçaram a minha boca e a minha alma...

Adorei este teu momento.

Parabéns
Luis

Fernando Santos (Chana) disse...

Olá cara amiga, belo momento...belas palavras...Espectacular....
Beijos

Teresa Durães disse...

Mas as palavras têem de ser arrancadas para que todas as rochas desapareçam

antonio - o implume disse...

Nesse caso, dispensem-se as palavras!